obrigado1
 
 
QUEM SOMOS | COMO ANUNCIAR | FALE CONOSCO
Destaque: 19/10 |
NOTÍCIAS
 
Comércio da região faturou R$ 2,2 bilhões em fevereiro
Região - 27/05/2014

O comércio varejista da região de Ribeirão Preto apresentou crescimento de vendas no mês de fevereiro, ao registrar faturamento de R$ 2,228 bilhões, um resultado 11,1% maior que o constatado em fevereiro do ano passado. Este é o resultado da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista, o PCCV, da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, a Fecomercio-SP, em parceria com a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.

Segundo dados da pesquisa, “Lojas de departamentos tiveram uma receita 42,7% menor que a de fevereiro de 2013, ao atingir R$ 94,7 milhões. A outra queda no período foi registrada pelas lojas de eletrodomésticos e eletrônicos, com R$ 47,9 milhões – baixa de 27,4%. No campo positivo, as farmácias e perfumarias registraram faturamento de R$ 118,3 milhões, avançando 5,6% no período.

Maiores altas: lojas de vestuário, tecidos e calçados - Melhor desempenho tiveram concessionárias de veículos, que conseguiram R$ 318,4 milhões – crescimento de 9,6%. Os supermercados faturaram R$ 683,7 milhões após expansão de 15,7%. Pouco acima disso, com 16,8% de aumento, as lojas de autopeças e acessórios tiveram resultado financeiro de R$ 79,6 milhões. Já as lojas de móveis e decoração apontaram elevação de receita de 22,9%, ao conquistar R$ 21,6 milhões de faturamento. A atividade de “outros do comércio” teve incremento de 23%, com R$ 531,9 milhões de receita em fevereiro último.

As maiores altas no período foram verificadas nos setores de lojas de vestuário, tecidos e calçados – que apresentou aumento de 25,6% e atingiu os R$ 141,5 milhões – e de materiais de construção – que faturou R$ 191,6 milhões ao crescer 26,4% no período”.

A região de Ribeirão Preto (Delegacia Regional Tributária 06) é composta por Mococa, São José do Rio Pardo, São João da Boa Vista, Casa Branca, Aguaí, Águas da Prata, Altinópolis, Aramina, Barretos, Barrinha, Batatais , Bebedouro, Brodowski , Buritizal , Caconde, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Colina, Colômbia, Cravinhos, Cristais Paulista, Divinolândia, Dumont, Franca, Guaíra, Guará, Guariba, Igarapava, Ipuã, Itirapuã, Itobi, Ituverava , Jaborandi, Jaboticabal, Jardinópolis, Jeriquara, Luís Antônio, Miguelópolis, Monte Azul Paulista, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis, Restinga, Ribeirão Corrente, Ribeirão Preto, Rifaina, Sales Oliveira, Santa Rosa de Viterbo, Santo Antônio da Alegria, São Joaquim da Barra, São José da Bela Vista, São Sebastião da Grama, São Simão, Serra Azul, Serrana, Sertãozinho, Taiaçu, Taiúva, Tapiratiba, Terra Roxa, Vargem Grande do Sul, Viradouro, Guatapará, Ibitiúva, Santa Cruz da Esperança e Taquaral.

Dados do Estado - Segundo os dados da pesquisa, “A receita de vendas do varejo no Estado de São Paulo, em fevereiro, chegou aos R$ 37,846 bilhões, refletindo um crescimento de 10,4% sobre o resultado de igual mês de 2013 – maior variação dos últimos 33 meses. Variação esta justificada pelo fato de que, neste ano, a quantidade de dias úteis foi maior (sem Carnaval, uma vez que a data foi comemorada no mês seguinte, em março) e pelo registro de forte retração do consumo no primeiro trimestre de 2013 comparado com o mesmo período de 2012.
Desempenho negativo: lojas de eletrônicos e eletrodomésticos - Apenas duas atividades das dez existentes tiveram retração de receita. A maior queda foi verificada em lojas de departamentos, que faturaram R$ 1,436 bilhão – redução de 25,5%. O outro desempenho negativo foi apresentado por lojas de eletrodomésticos e eletrônicos, com receita de R$ 1,47 bilhão – 6,3% menor que o apurado em fevereiro do ano passado.

Desempenho positivo: concessionárias de veículos, lojas de móveis e vestuário e calçados - Pelo lado positivo, concessionárias de veículos conquistaram resultado de R$ 5,129 bilhões, avançando 3,4%. Lojas de móveis e decoração ampliaram as vendas em 9,7%, atingindo a cifra de R$ 582 milhões. O segmento de vestuário, tecidos e calçados obteve desempenho próximo da média, ao crescer 10,5%, com um total de R$ 2,997 bilhões.

Respondendo por quase um terço do total, os supermercados tiveram faturamento de R$ 11,55 bilhões, com expansão de 11,4%. Outra atividade que contribuiu para a expressiva elevação da receita geral do varejo no Estado de São Paulo foi a de materiais de construção, ao somar R$ 3,058 bilhões e crescer 17%. Farmácias e perfumarias também aumentaram o faturamento para R$ 2,253 bilhões, variando positivamente 13,9%.

Os melhores desempenhos, no entanto, foram registrados por lojas de autopeças e acessórios, cujo resultado em fevereiro deste ano foi de R$ 764 milhões – 20,1% acima do constatado em fevereiro do ano passado –; e pelo segmento de outras atividades, com R$ 8,607 bilhões (crescimento de 22,9% no período)”.

Sobre a pesquisa - Segundo informações exclusivas da Fecomércio-SP ao mococa24horas, "a PCCV utiliza dados sobre valores mensais de receitas de vendas informados pelas empresas varejistas para o governo paulista, por meio de um convênio de cooperação técnica firmado entre a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo e a Fecomercio-SP".

"Essas informações, segmentadas em suas 16 Delegacias Regionais Tributárias, que englobam todos os 645 municípios paulistas e dez setores, abrangem todas as ati­vidades varejistas constantes do código CNAE 2,0.Os dados brutos são tratados tecnicamente de forma a se apurar o valor real das vendas em cada atividade e o seu volume total em cada região. Após a consolidação dessas informações, são obtidos os resultados de desempenho de todo o Estado. Ao abranger o Estado de São Paulo, a PCCV passa a refletir com maior acurácia a grande representatividade do interior e do litoral paulistas em termos de PIB, de co­mércio e de consumo. O Estado, excetuando-se a capital, responde, em seu conjunto, como o segundo maior mercado produtor e consumidor do País. A série tem seu início oficial com as informações relativas ao mês de janeiro de 2013", salienta em nota a Fecomércio-SP ao mococa24horas.

 

(Foto ilustrativa: reprodução)

 

Este site foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

Permitida a reprodução apenas se citadas a fonte e autoria: www.mococa24horas.com.br

 
 
 Voltar  Topo  Imprimir
 
 
CLASSIFICADOS
booked.net
DINHEIRO
HUMOR
BLOG